Fight! Binary Land (FM-7, MSX, PC-60, PC-88, Famicom, X68000, GBA)

hg101trans

binaryland-24-e1501257533533

Por  28 de 

Binary Land / Laberinto Binario (バイナリィランド) – FM-7, MSX, PC-60, PC-88, Famicom, Sharp X68000, Game Boy Advance (1983)

Apesar da Hudson Soft não estar mais em evidência nestes dias, com certeza algo deve ser dito sobre seu legado único de jogos, alguns bem famosos e outros mais obscuros. Um destes títulos é o Binary Land, originalmente lançado para o computador FM-7 em 1983. Ele mais tarde foi convertido para uma variedade de sistemas, incluindo o MSX e o Famicom, e inclusive no que parece ser uma versão de fãs  para o X68000 baseada na versão para Famicom.

binaryland-01.png

MSX

Seu objetivo é guiar um casal apaixonado através de uma série de labirintos verticais divididos para alcançar a saída no topo da tela. O que faz deste jogo de puzzle particularmente único é que você controla ambos os personagens simultaneamente, e seus movimentos espelham o do outro. Então dependendo do personagem que você escolher na tela de título, seu parceiro vai se mover na direção oposta quando você se mover horizontalmente. Se você for para a esquerda, seu parceiro irá para a direita, e vice-versa. Essa mecânica adiciona uma camada interessante de estratégia, pois os labirintos são assimétricos, o que significa que as paredes e passagens não se equivalem perfeitamente em ambos os lados. Então o desafio essencial do jogo é descobrir como coordenar ambos os personagens à medida que eles vencem os obstáculos de cada fase.

binaryland-02.png

MSX

Como desafio adicional, ambos tem que se encontrar no topo da tela ao mesmo tempo; algo diferente disso não serve. Indo em sua direção há aranhas e teias cobrem boa parte das fases. Tocar numa aranha resulta em um dos personagens ficar enrolado numa teia e presumivelmente se torna a refeição dela. Se um dos seus personagens entrar numa teia, ele ou ela ficará preso e você terá que guiar seu companheiro(a) até onde ele(a) está para salvá-lo(a). As aranhas e teias podem ser destruídos usando-se um suprimento ilimitado de inseticida. À medida que você encontra mais obstáculos nas fases mais avançadas, você tem que ficar mais atento para não perder de vista seus personagens em ambos os lados do labirinto.

binaryland-08.png

MSX

Estranhamente, aranhas não podem ferir seu personagem se ele estiver preso numa teia. Às vezes a melhor estratégia é deixar um dos personagens entrar numa teia enquanto o outro se esquiva das ameaças do labirinto. Entretanto, se ambos os personagens ficarem presos na teia (o que pode acontecer de forma bem fácil), é o fim para o nosso casal apaixonado. Você também tem que lidar com um limite de tempo para cada fase, o que garante que você não vai ficar zanzando o quanto quiser. Se você se delongar demais, próximo ao limite de tempo, as aranhas começa~m à se mover mais rapidamente. À medida que você avança no jogo, as aranhas começam à andar mais rápido mais cedo. Não preciso dizer que é melhor você chegar à saída o mais rápido possível. Além do mais, o jogo fica um pouco assustado quando as aranhas começam a zanzar por todo o labirinto.

binaryland-11

MSX

Todas as versões do jogo tem a mesma música de fundo, e ela é um tanto impressionante, considerando a escolha da canção. É uma versão abreviada da “Je Te Veux” (tradução: “Eu Quero Você”) – uma bela valsa do clássico compositor francês Erik Satie. E funciona muito bem neste jogo, pois a composição digital se soma de uma forma que captura o sentimento romântico da canção original. Outros jogos que também tem amor como tema geralmente não vão tão longe ao ponto de emprestar uma música famosa como feito em Binary Land. Uma vez que os dois pombinhos são reunidos, um trechinho de “Ode à Alegria” de Beethoven toca rapidamente antes do começo do próximo round. Não dá para não se admirar com o esforço que a Hudson Soft demonstrou na apresentação de áudio deste jogo. A música é praticamente a peça central do jogo, que faz todo o jogo funcionar. Há dois vídeos do YouTube com versões da música original na seção de vídeos deste artigo – que valem muito à pena serem ouvidos, se você gosta de música clássica.

binaryland-04.png

MSX

Por mais interessantes que os elementos do jogo sejam, eles foram fracamente implementados na versão para MSX. Primeiramente, os controles do jogo são simples – requerem apenas o uso das setas do teclado e da tecla de espaço para o inseticida – o tempo de resposta dos seus personagens parece meio segundo lento demais. Isso muitas vezes resulta na sua morte porque uma aranha acaba chegando muito perto e você não consegue se virar a e lançar o spray à tempo. Além disso, algumas fases tem corredores com teias cobrindo a única saída em ambos os lados do labirinto no mesmo espaço correspondente. Já que jogos de computador como estes não foram projetados para mudanças de última hora – como virar em uma direção diferente sem realmente se mover naquela direção – seus personagens vão à toda velocidade para dentro da teia sem conseguirem jogar o inseticida na parte bloqueada antes de avançar. Esta é uma falha significante, pois o jogador está fadado à perder à menos que ande cerca de meia casa para frente, segure a tecla de ataque, e então se vire na direção da teia. Uma solução trabalhosa para um jogo que requer que você aja com rapidez.

binaryland-07.png

MSX

Uma situação similar acontece quando um personagem fia preso numa teia num corredor curto, com apenas uma maneira de entrar ou sair. Quando se usa o outro personagem para tentar destruir a teia, às vezes o inseticida desaparece dentro da teia, tornando seu esforço inútil. Parece ser um defeito gráfico intermitente que faz que o seu inseticida não registre contra a teia à menos que ela esteja à menos de dois passos do seu personagem. Se isso acontecer, é a mesma coisa que morrer. Isso, somado aos problemas mencionados antes, realmente acaba com o jogo, pois e para de obedecer suas próprias regras em momentos cruciais da partida.

binaryland-03.png

MSX

Para jogar mais sal na ferida, há ainda o fato de que você mal tem vidas para gastar. Você não tem quatro, ou três vidas – você começa o jogo com apenas duas míseras vidas. Não há indicação de um sistema para se ganhar vidas extras, e parece que você está preso à estas duas vidas durante todo o jogo. Apesar de você poder coletar barras de ouro para ganhar pontos extras, você não vai conseguir avançar o suficiente no jogo para ver se coletando elas você vai acabar conseguindo uma vida extra em algum momento. Os controles ruins e as situações impossíveis de se vencer garantem que a maioria dos jogadores vai ter dificuldade em chegar à décima fase, que dirá alguma fase depois disso.

binaryland-12

Famicom

Quando foi portado para o Famicom, fica claro que um esforço considerável foi feito para se melhorar a apresentação de jogo. Há até uma história revisada que pode ser vista no manual japonês do jogo. Os personagens humanos foram substituídos por dois pinguins chamados Gurin (macho) e Malon (fêmea), que no manual são descritos como “muito bons amigos”. Um dia, eles ficaram presos em um labirinto espelhado em uma floresta mágica onde tudo se move na direção oposta, dando ímpeto à mecânica do jogo.

binaryland-13

Famicom

Mudar os protagonistas para pinguins muito provavelmente foi algo bem calculado pela Hudson Soft, considerando o quanto eram populares os jogos com temas de pinguins no Japão. Em 1985, eles estavam competindo contra sucessos como Penguin Land, Antarctic Adventure, Pengo, e vários outros em praticamente todos os consoles disponíveis na época. Então, que forma melhor de se portar um jogo que já é fofinho do que tornar os dois personagens em pinguins? Isso deu à Binary Land um charme que faltava mas versões anteriores. Além da mudança dos protagonistas, outra mudança que você norta imediatamente é a melhoria da apresentação visual do jogo. As versões melhoradas tiraram vantagem da habilidade de mais variedade de cor do que era possível no MSX original. Agora os labirintos tem paredes de cores exclusivas, que ajudam à diferenciar uma fase da outra. Isso também ajuda à quebrar a monottonia de se fazer basicamente a mesma coisa várias e várias vezes. Gurin e Malon são bem animados e se movem balançando como se espera ver em um pinguim. E o melhor de tudo, a jogabilidade está muito melhor. Os controles foram ajustados para permitir mais precisão ao se mover pelo labirinto, e o problema de não se conseguir destruir teias em momentos cruciais foram corrigidos, eliminando as mortes injustas. O jogo também conta com pequenas fases de bônus à cada poucas fases.

binaryland-14

Famicom

Periodicamente, uma variedade de itens-bônus aparecem no labirinto. Alguns estão escondidos dentro das paredes do labirinto e são revelados ao se jogar inseticida na parede correta. Apesar da maioria deles serem apenas pontos extras, você pode acabar descobrindo um ícone de um pinguim, que te dá uma vida extra. Eles aparecem randomicamente à cada vez que você inicia uma partida, logo a única maneira de achá-los é usando o inseticida randomicamente nas paredes. Na maioria das fases, um ícone de baleia irá aparece próximo à parte inferior do labirinto. Pegando ele, ambos os pinguins ficam invisíveis e podem destruir quase todos os inimigos do labirinto (mais sobre isso mais tarde). Isso também possibilita que eles andem pelo labirinto mais rapidamente, te dando uma ótima vantagem contra a contagem regressiva de tempo. O único problema é que às vezes o ícone aparece quando você já está bem longe dele e só restam uns cinco segundos, mais ou menos. Uma vez que ele desaparece, não aparecerá de novo até o fim da fase.

binaryland-15

Famicom

Ao invés de uma porta vazia para a saída, agora foi colocado um coração numa gaiola, que é destrancada quando os dois chegam juntos nela. Além das aranhas e teias, dois novos inimigos são introduzidos gradualmente no jogo. Quando você chega na fase nove, você vai perceber um pássaro voando randomicamente. Se ele tocar Gurin ou Malon, eles trocam de lugar no labirinto. Infelizmente, os pássaros não podem ser feridos. Logo mesmo que você esteja invencível, eles podem forçar seus personagens à trocar de lugar ao serem encostados. Apesar dos pássaros serem mais um incômodo do que uma ameaça direta, eles tendem a atrapalhar a sua concentração e fazer você dar de cara com um inimigo na confusão da mudança de lado.

binaryland-18

Famicom

Algumas fases mais tarde, você vai precisar evitar um elemental do fogo junto com as outras ameaças do labirinto. Fogo é de longe o inimigo mais difícil do jogo, já que você não pode destruí-lo com o inseticida. É aí que a dificuldade fica mais complicada porque não demora muito em aparecer dois elementais do fogo nas últimas fases e, uma ver consideradas as aranhas, teias e pássaros, eles podem ser bem difíceis de se evitar. Logo a sua única chance é conseguir enganá-los de alguma forma ou torcer para que um ícone de invencibilidade aparece perto de você o suficiente para pegá-lo antes que ele desapareça.

binaryland-28.png

Famicom

O programador da Hudson Soft, Kikuta Masaaki era famoso por colocar referências obscuras e coisas estranhas nos jogos em que trabalhava. Eleste jogo tem pelo menos dois Easter eggs. O primeiro pode ser visto se você fizer Gurin e Malon passarem um pleo outro 16 vezes em intervalos de 1 a 3 segundos. Isso fará com que eles dêem a luz à um bebê pinguim que vagará pela tela por conta própria. Num lance macabro, o bebê te custará uma vida se ele tocar em algum inimigo fatal, logo deve-se tentar terminar a fase o mais rápido possível. Não há vantagens ou pontos extras por dar a luz ao pinguinzinho, logo essa opção só foi feita porque podia ser feita.

binaryland-27

Famicom

O segundo Easter egg é encontrado segurando A+B em ambos os controles e apertando o botão de reset do Famicom. Fazendo isso se destrava o modo “Love Story” e os nomes dos pinguins são trocados para Kiku e Megu. Apesar do jogo ser idêntico ao modo normal, Kiku e Megu gritam um para o outro se ficam presos numa teia. Aparentemente, “Kiku” é um pseudônimo para Kikuta (o programador do jogo), e acredita-se que “Megu” era uma funcionária da Hudson com quem ele estava namorando. A mesma mensagem pode ser encontrada no jogo de Famicom Challenger.

binaryland-30

Famicom

Além disso, acredita-se que uma série extremamente pequena de cartuchos dourados foi dada como presentes de casamento para dois funcionários da Hudson (não para Kiku e Megu, infelizmente). Não se sabe muito sobre o conteúdo destes cartuchos, já que quem os tem nunca os explicaram completamente. Acredita-se que eles tem a noiva e o noive como os personagens principais, mas já que existem versões piratas por aí, isso nunca foi confirmado.

binaryland.jpg

De qualquer forma, é mesmo uma pena que Binary Land nunca foi lançado internacionalmente para NES (N.T.: pelo menos no Brasil tivemos acesso à ele nas fitas de 100+ jogos), já que ele seria uma ótima adição aos outros jogos de puzzle da época.

Links

Informações sobre a lenda urbana da História de Amor de de Kiku e Megu (em japonês)

Comparativo de Fotos

Remake

Existe um remake feito por fãs para PC (Windows), feito pela Tardis Remakes. Baixe aqui.

Vídeos

Composição original de “Je Te Veux”:

‘Je Te Veux” cantada por Jesse Norman (vocal de ópera):

Remake para PC:

Comercial do Famicom:

Imagem de destaque feita por Gandasha Vani 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s