Especial Rune Master, Parte 4: Famicom e Jogos Similares

HG101_logo_SMALLER

Por 

Rune Master (ルーンマスター) – Famicom (Cancelado)

rune-nes-cover

Capa

Em certo momento, um jogo da série Rune Master estava em planejamento para o Famicom, mas por motivos desconhecidos ele foi cancelado. Este jogo seria publicado pela Bandai e não parece ser nada em comum com a série para MSX, exceto o nome.

A trama do jogo trata do personagem principal tentando salvar sua irmãzinha que está doente, se aventurando para conseguir dinheiro para curá-la. O jogo é explicado em alguns artigos japoneses como um “Anti-Dragon Quest” por ser mais focado na história  emocional do que em cavaleiros enfrentando um rei maligno para salvar o reino.

O time que estava trabalhando neste jogo era bem grande e prolífico: Yuji Horii (Dragon Quest) trabalhava como supervisor, Hiroshi Miyaoka (Metal Max) era o diretor, Shinji Hashimoto (Front Mission) era o produtor e Hiroshi Haginome (Famicom Jump) era o designer.

Jogos Similares

A série Rune Master foi um sucesso de pequena escala para a Compile, com o terceiro jogo ganhando um status de cult no Japão após seu lançamento. Vários outros desenvolvedores tentaram a sorte em trazer a natureza divertida e imprevisível da rolagem de dados para os vídeogames. No Japão estes títulos era bastante originais e bem planejados, enquanto no ocidente aparentemente as empresas queriam lucrar em cima da popularidade do Rune Master com títulos estranhos e níveis diferentes de qualidade. A empresa holandesa Sunrise publicou alguns destes jogos, sendo o mais conhecido o Witch’s Revenge. Apesar do jogo em si ser bem grande e suas mecânicas funcionais, a arte e a direção são atrozes ao ponto de afetar o jogo negativamente. Outra empresa holandesa chamada Emphasys desenvolveu um jogo não-licenciado dos Duck Tales usando um sistema de dados/RPG. Este jogo se passa em 4 tabuleiros separados, levando até o castelo da Maga Patalógica para o confronto final. Pelo fato de não ser licenciado, foram tomadas algumas liberdades com material original, especificamente na linguagem de mau gosto utilizada.

Um dos mais famosos RPG de dados no japão fora o Rune Master é o Sugoro Quest: Dice No Senshitachi, ou Dice Warriors em inglês, lançado em 1991. Desenvolvido pela Technos Japan, que é bastante conhecida pelas séries Double Dragon e Kunio-KunSugoro Quest se passa no mundo de Siland, onde monstros causam o caos em uma terra outrora pacífica. Para impedir os criaturas de dominarem tudo, o rei envia 4 “dice warriors” para cruzar o reino e lidar com a ameaça. Sugoro Quest tem uma jogabilidade muito similar à do Rune Master, mas tenta apresentar uma customização mais profunda, para competir com os outros RPGs da época, como Final Fantasy. O jogo fez sucesso suficiente para garantir uma continuação no Super Famicom, chamada Sugoro Quest PlusPlus Dicenics, em 1994. O jogo original para Famicom foi eventualmente traduzido por fãs, com um patch feito por Alan Midas. O jogo para Super Famicom ainda não foi traduzido. Em 2008, a Compile Heart lançou mais um título da série Sugoro Quest agora para Wii, chamado Sugoro Chronicle: Migite ni Ken o Hidarite ni Saikoro o.

Outro jogo de dados/RPG menos conhecido é o Hyaku no Sekai no Monogatari para Famicom, que foi traduzido por Alan Midas sob o título 100 World Story. Como Sugoro Quest100 World Story novamente tenta aprofundar o gameplay com mais magias e customização dos personagens. Diferente de outros RPGs de dados, há agora uma certa quantidade definida de turnos e várias formas de vencer o jogo, ou seja matando o dragão-rei, ou encontrando o tesouro místico, ou salvando a princesa ou acumulando o maior número de pontos. Apesar de jogos de tabuleiro para vídeogames ainda existirem na forma de “party games” como Mario Party, apenas um jogo parece ter usado o contexto dos RPGs recentemente. Dokapon Kingdom, da Sting usa o universo dos jogos da série Dokapon, conhecida no ocidente como Monster Hunter, num contexto de jogo de tabuleiro com elementos de RPG, mas tem uma jogabilidade que parece ser mais uma evolução livre do estilo do que ter sido inspirado neste gênero que durou tão pouco.

Galeria

Duck Tales (MSX2):

Sugoro Quest PlusPlus Dicenics (SFC):

Sugoro Chronicle (Wii):

100 World History (Famicom):

Dokapon Kingdom (Wii):

Vídeos

Witche’s Revenge (MSX2):

Duck Tales (MSX2):

Sugoro Quest (NES):

Sugoro Quest (SFC):

100 World History (Famicom):

Dokapon Kingdom (Wii):

Fim do Especial Rune Master!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s