Fight! Predator (1988)

HG101_logo_SMALLER

Por

predator__

Predator – MSX, NES (1988)

O primeiro jogo do filme Predator (o filme foi chamado no Brasil de “O Predador” – o jogo foi lançado para C64, Amstrad CPC, ZX Spectrum) não é particularmente bom, mas faz um bom trabalho em traduzir o filme para os vídeogames. O jogador deve correr da esquerda para a direita, atirando em soldados inimigos, enquanto evita ser morto pelo próprio Predador. Mas quando chegou a hora de lançar o jogo para MSX e NES, ele acabou sendo feito pela mestre em jogos desastrosos, a Pack-In-Video. Sim, a Pack-In-Video, a criadora de um grande número de trágicos jogos licenciados e não-licenciados, como Back to the Future e Deep Blue, e foi a responsável pelo Predator para o NES e MSX. A versão para NES foi feita para a Pack-In-Video pela Klon Co., Ltd., uma pequena desenvolvedora que sumiu do mapa depois de seu primeiro jogo, até reaparecer do nada novamente lançando dating sims para o 3DS em 2012. E obviamente, a versão americana foi lançada pela Activision, outra empresa com um grade portifólio de horríveis jogos licenciados para NES, como Ghostbusters (“Os Caça-Fantasmas”), The Three Stooges (“Os Três Patetas”), e a adaptação da Pack-In-Video de Die Hard (“Duro de Matar”).

predator-msx

MSX

Felizmente, a ação e a estética de Predator é prolífica, e como o filme Aliens já havia sido usado extensivamente pela indústria dos vídeogames, sendo que adaptações oficiais já haviam sido produzidas. Com certeza um jogo oficial do Predator para NES seria algo que venderia facilmente. A embalagem americana do jogo é promissora:

IF IT BLEEDS, WE CAN DESTROY IT.

You’d better. Or it will be your blood that spills in the jungle. As Major “Dutch” Schaefer, you face a deadly alien creature that skins men alive and collects human skulls-just for the thrill of the hunt. It shows no mercy. It knows no pain. And now the Predator that wasted all your men is coming after you.

Awesome firepower at your fingertips. Use machine guns, greandes and laser rifles to blow through 30 stages of raw, destroy-or-be-destroyed action.

It’s a bloody life-and-death struggle with the alien creature of destruction. Only one of you will make it.

Ignorando a comédia que foi a mudança da citação “If it bleeds, we can kill it”  do filme para “destroyed”, pois você não pode dizer “kill” (matar) em produtos voltados para crianças, nem mesmo naqueles que descrevem aliens caçadores esfolando pessoas vivas e coletando os seus crânios como troféus, mas parece que a Activision conseguiu. Tudo que existe no filme é mencionado aqui (junto com a adição bizarra de rifles laser). Logo fica claro que quem escreveu esta chamada para a Activision sabe o que um jogo ideal do Predador precisa ter. Infelizmente, o jogo não chega nem perto do que foi descrito.

PredatorMSXb

MSX

A primeira coisa que você vê ao começar o jogo é uma breve introdução descrevendo a primeira parte do filme. Ok, eles estão pulando toda a enrolação militar para ir direto para o Arnold perambulando pela floresta, sendo seguido e eventualmente enfrentando o Predador num combate mano a mano. Infelizmente, a Pack-In Video só recebeu uma vaga noção do que se trata o filme, antes de fazer o jogo. Como muitos jogos baseados em filmes dos anos 80 e começo dos 90, uma vez que você começa a jogar, fica óbvio que ele pegaram qualquer jogo inacabado e colocaram a marca Predator de qualquer jeito nele.

Por causa disso, ao invés do jogo ser sobre o Major Dutch Schaefer, interpretado por Arnold Schwarzenegger, enfrentando o Predador num duelo de nervos, nós recebemos um jogo tortuoso de plataforma onde na verdade enfrentamos uma física de saltos e corridas totalmente inadequado para um jogo repleto de plataformas minúsculas. O inimigo mais desafiador do jogo não é o Predador em si, mas sim o seu design de fases absurdo. As fases em si são na verdade bem curtas, mas são complicadas, requerendo que o jogador siga caminhos bem específicos em cada uma.

O mais engraçado, entretanto, é que Dutch sequer começa o jogo com uma arma. Bem, na verdade ele começa, ela está ali, ele a está segurando, mas ao invés de atirar com ela ao se apertar o botão de tiro, ele apenas soca seus inimigos até que você localize alguma arma melhor ao longo das fases. Também vemos que a Pack-In Video mudou o visual do Dutch, tirando as calças camufladas que ele usa na versão para MSX e colocando um macacão rosa no lugar, na versão americana.

predator-1

NES

Você também perde misteriosamente as suas armas depois de cada fase, voltando a ter que socar inimigos até você achar outra. e para adicionar insulto à injúria, bem de vez em quando você acha um ícone de um punho cerrado. Este “power up” remove a sua arma atual e faz você voltar a socar as coisas! Apesar das granadas e dos punhos de Dutch serem inúteis, a metralhadora é obviamente útil ao se lidar com os vários inimigos e obstáculos do jogo. E aquele tão falado rifle laser que até mereceu ser mencionado na caixa do jogo? É igualzinho à metralhadora, mas com um efeito sonoro muito mais incômodo. Isso é de uma diferença absurda em comparação com o jogo para MSX, onde você pode mudar de arma quando quiser e pegar munição dos inimigos derrotados.

predator-4

NES

Falando dos inimigos do jogo, se o fato da maior parte do jogo se passar em uma enorme rede de cavernas subterrâneas não entregou o fato de que o jogo não era originalmente sobre o filme Predator (nada sequer parecido com estes lugares aparece no filme), os inimigos vão. Estes incluem uma grande variedade de criaturas, como escorpiões brilhantes, rochas inteligentes e gosmas, amebas gigantes, fantasmas de desenho animado, plantas que atiram, passarinhos difíceis de acertar, homens-pássaro que parecem ter saído do Metroid, e soldados humanos que são tão pequenos se comparados com a sprite do Dutch que faz parecer que ele está atirando em crianças.

predator-5

NES

Felizmente, alguém na Pack-In-Video se tocou sobre qual filme o jogo é baseado, e logo você enfrenta o Predador propriamente dito, de tempos em tempos. Um efeito bacana na versão para MSX é que ele está invisível quando você o encontra pela primeira vez, e vai ficando mais opaco à medida que você lhe causa dano.

PredatorMSXc

MSX

Mas as lutas em si são bem sem graça. É óbvio que, como o resto do jogo, que o Predador deveria ter sido outra coisa, já que ao invés de usar suas famosas garras ou o canhão laser, ele só fica pulando, tentando cair sobre você de vez em quando. Entretanto, na batalha final, você enfrenta uma cabeça enorme do Predador que flutua pela tela, disparando bolas de energia pelos olhos. Depois disso, os jogadores são presenteados com uma recapitulação do fim do filme e da marca da Pack-In-Video, sem créditos, logo os criadores de um jogo tão ruim assim permaneceram anônimos.

Depois de algumas fases sofridas de plataforma, enfrentando pássaros e organismos unicelulares, os jogadores tem uma cutscene, e é a única no jogo fora a introdução e o final do jogo. Nela, Dutch descobre os corpos esfolados de seus companheiros (aqui eles dão uma jogada para não precisar mencionar o nome de nenhum outro personagem ou precisar mostrar os seus rostos). Assim como no o verso da caixa do jogo para NES, a escrita é bem infantilizada, tentando fazer Predator ser algo adequado para crianças:

Major Schaefer soon discovers dead American soldiers hanging upside down from a tree. “I will find whomever did this!” He vows.

Novamente, tomaram cuidado para simplificar e sanitizar a cena do filme o máximo possível – e novamente, este esforço de nada adianta já que este texto aparece logo abaixo da imagem dos corpos esfolados retirada do filme!

predator-3

NES

Quando a Klon trouxe o jogo para NES, poucas alterações foram feitas em relação à versão para MSX. Além de remover as armas de Dutch e mudar sua roupa para um macacão rosa, a tela agora conta com scroll suave, ao invés de mostrar uma tela por vez como no MSX. Isso resulta num design de fases muito mais simples, mas muitas das áreas verticais agora estão truncadas, já que elas ainda precisam ser acessadas uma tela por vez. Isso tem o efeito não-intencional de tornar as fases mais confusas de se navegar, ao ponto da Klon ter adicionado um dedo apontando que aparece regularmente nestas áreas verticais para dizer ao jogador para onde ele deve ir. Além disso, as plataformas são muito mais mortíferas, com montes de abismos sem fundo, que no MSX  só faziam Dutch cair em um rio, o que fazia com que ele só tivesse que voltar algumas telas, ao invés de lhe custar a vida. Mas a música teve uma melhoria notável em comparação com o MSX, e o Predador agora saltita em sua direção mais agressivamente. Mas a alteração mais drástica e inexplicável do jogo é a adição do “BIG MODE”.

Periodicamente, após algumas fases terríveis de ação em plataforma, o jogo anuncia que você entrará no “BIG MODE”. Nestas fases é onde Predator realmente se destaca como um dos jogos mais cretinos à serem lançados para NES. A idéia por trás do BIG MODE é que Dutch e o Predador são representados por sprites enormes, ao invés das pequenas e vagas sprites que o jogo usa para todo o resto. O problema é que, já que as sprites são enormes, não tem mais nada acontecendo nessas fases. Então ao invés de enfrentar o Predador diretamente, o BIG MODE consiste numa fase onde a tela rola automaticamente da esquerda para a direita, como Dutch acompanhando e atirando contra… pequenas bolhas de sabão.

predator-2

NES

Então Dutch marcha, atirando nas bolhas por um tempo, eventualmente encontrando o Predador, que na verdade tem um visual bem bacana! Como isso é possível? Será que a Klon conseguiu fazer uma luta decente contra o Predador no próprio jogo Predator, tendo sucesso onde a Pack-In-Video falhou miseravelmente? Não, não é o este o caso. Apesar da sprite ser bacana, a versão do Predador no BIG MODE quase não tem animação, mas sendo justo com a Klon, aqui ele realmente usa suas garras e o canhão laser. E estranhamente ele também ataca lançando cabeças de Predador. É interessante notar como dois desenvolvedores completamente diferentes pensaram que a melhor forma de retratar o Predador no jogo é através de uma cabeça que voa ao redor do jogador. Estas fases em BIG MODE são horríveis, sendo ainda mais chatas que o jogo principal, sendo claramente algo adicionado de última hora: ela claramente mostra Dutch num visual mais parecido com o que ele usa no filme, ao invés do macacão rosa que ele usa nas demais fases. E foi algo obviamente feito às pressas, pois o Predador sequer se vira e mal se mexe, sempre deslizando pela tela com um único frame de animação da sua garra. Dutch sempre fica virado para a direita nestas fases, logo se o Predador acabar atrás dele, nenhum dos dois consegue se acertar até que o jogador mova o Dutch mais para a direita, o que faz com que o Predador se mova do lado esquerdo para o lado direito da tela. Incrível.

Predator é um jogo fraco no MSX, mas a versão para NES pela Klon é simplesmente um desastre. Como que assumindo seu fracasso, a Klon adicionou mais uma funcionalidade ao jogo. Os jogadores podem fazer Dutch se auto-destruir à qualquer hora, pausando o jogo e apertando o botão A ou B. Fazer isso custa uma vida ao jogar, obviamente, mas também permite que eles recomecem a fase. Na verdade, esta é uma grande sacada da parte deles, já que graças à horrível programação do jogo, é possível ficar preso no terreno, fazendo que o suicídio seja algo melhor do que se jogar este jogo.

Vídeos

MSX:

NES:

Famicom:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s