Os 11 “Zeldas” da SEGA – Parte 2

segaobscura

Por Mama Robotnik em 28 de Novembro de 2018

Respostas da SEGA ao Zelda 2: The Adventures of Link (lançado em 14 de Janeiro de 1987), continuação

Ax Battler: A Legend of Golden Axe

Formato: SEGA Game Gear
Primeiro lançamento: 1991
Lançamentos recentes: NENHUM

Outro spin-off da franquia Golden Axe, Ax Battler trouxe mutas das mecânicas de Zelda 2 para o Game Gear, com resultados impressionantes.

Zelda Como?

Zelda demais. O mapa geral é genuinamente difícil de se distinguir do Zelda que o inspirou. Os encontros com inimigos –  que mudam o ponto de vista para um combate de scroll lateral – também são bem comparáveis.

Méritos Próprios

Diferente do Zelda 2, Ax Battler mantém a visão aérea nas vilas e na interação com NPCs. O combate 2D impressiona, com o personagem atacando com golpes largos de espada, ao invés da faquinha do Zelda 2. Os ambientes são também mais diversos e apresentam uma variedade mais robusta de desafios.

Respostas da SEGA ao Zelda 3: A Link to the Past (lançado em 21 de novembro de 1991)

Crusader of Centy (US) / Soleil (EU) / Ragnacenty (JP)

Formato: SEGA Genesis / Mega Drive
Primeiro lançamento: 1994
Lançamento recentes: NENHUM (um crime!)

Nosso primeiro jogo em 16 bits, este é um dos jogos mais impressionantes do gênero, e uma jóia escondida da biblioteca do Mega Drive/Genesis.

Zelda Como?

Se você colocasse uma roupa verde no personagem principal, esse seria um jogo da série Zelda. Ele tem uma mecânica parecida e é tão ambicioso quanto o A Link to the Past.

Méritos Próprios

Vários. Por trás do que parece ser um clone de Zelda está um jogo ferozmente potente. A música é fenomenal, os ambientes são interessantes, os chefes variados e bombásticos, o movimento é fluído e as opções de upgrade são ousadas.

Mas o mais intrigante de tudo é a escala da história. O personagem principal começa no futuro, mas se aventura no passado de uma forma que contextualiza as dungeons e inimigos. O herói ascende ao Céu onde ele luta com tanta voracidade que o próprio Deus o declara uma afronta. Já que o Ser Supremo deixa claro seu plano para destruir o mundo, você deve criar uma linha do tempo alternativa, onde o grande vilão – a humanidade – segue um caminho menos maléfico. é um jogo subversivo, onde os monstros não são monstros no fim das contas…

Uma absoluta obra prima. Realmente melhor que alguns jogos da série Zelda.

Beyond Oasis (US) / The Story of Thor

Formato: SEGA Genesis / Mega Drive
Primeiro lançamento: 1994
Lançamentos recentes: SEGA Mega Drive/Genesis Ultimate Collection, PS3 e Xbox 360, 2009, Steam (2012), iOS e Android (2017)

Um belo “Zelda” que leva o console ao limite, pelos excelentes desenvolvedores da Ancient.

Zelda Como?

Estilo muito similar – um jovem herói explora um mundo vibrante, entrando em dungeons, armado de espada, arco, flechas e bombas.

Méritos Próprios

Apesar o jogo não ter uma escala ou escopo tão grande quanto de outros jogos aqui listados, para o que ele apresenta, ele apresenta extremamente bem. os gráficos são impressionantes para o Genesis/Mega Drive, com alguns ambientes realizados de forma incrível e com animação belissimamente detalhada. Os encontros com chefes são elaborados e imaginativos, e a mecânica de habilidades – na qual o herói conta com a ajuda de quatro antigos espíritos elementais, com seus poderes exclusivos – é muito bem feita.

The Legend of Oasis (US) / The Story of Thor 2 (EU) / Thor: Seireioukiden (JP)

Formato: SEGA Saturn
Primeiro lançamento: 1996
Lançamentos recentes: NENHUM

Seguimos agora para os 32 bits com a continuação – que na verdade é uma prequência – do Beyond Oasis.

Zelda Como?

Praticamente no mesmo nível de Zelda de seu predecessor – o jogo é muito, muito similar, com gráficos melhorados para tirar vantagem do hardware do Saturn. É um jogo mais íntimo que Zelda – contando uma história menor, num mundo menor, mas fazendo isso com maestria.

Méritos Próprios

Ele continua com os pontos fortes de Beyond Oasis, o que é algo muito bem-vindo. Ele tem um estilo visual bem agradável – é fantástico ver o que um título fortemente influenciado pelo Zelda consegue fazer usando uma arquitetura mais avançada. Entretanto, esta é uma continuação e não traz muita novidade –  mas se você gostou do primeiro jogo, você certamente vai gostar deste.

Vídeos

Ax Battler:

Crusader of Centy:

Beyond Oasis:

The Legend of Oasis:

À seguir – parte final dos “Zeldas” da SEGA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s