Especial Darwin, Parte 1: Darwin 4078

HG101_logo_SMALLER

Por

da1__

Darwin 4078 – Arcade, MSX2 (1986)

Praticamente todo grande desenvolvedor japonês lançou um clone de Xevious nos meados dos anos 80. A Capcom tinha o Vulgus e Exed Exes. A Konami tinha o TwinBee. Já a Data East tinha o B-Wings (abreviação de Battle Wings). Em B-Wings, sua nave poderia ser equipada com vários extras, com uma grande variedade de armas. A Data East pegou este conceito e o levou adiante em o seu título seguinte, Darwin 4078. Enquanto B-Wings foi um jogo relativamente bem sucedido, foi com o Darwin que eles se tornaram conhecidos e conquistaram uma popularidade “cult” na categoria dos shoot-em-ups.

O título, obviamente, se refere à Charles Darwin e sua teoria da evolução, que forma a base do sistema de powerups do jogo. Você controla algo que é menos parecido com uma nave e mais parecido com… uma criatura estranha, que em seu estado normal parece um tipo de lula gigante, mas sem tentáculos. Nesta forma inicial, a criatura/nave se chama Beas.

Certos tipos de inimigos deixam powerups “Evol”, que evoluem sua nave em uma forma diferente, cada uma com sua própria velocidade, tamanho e arma principal. Entretanto, você precisa continuar pegando estes itens – se você demorar muito, você involui para sua forma anterior. Se você for acertado pelos inimigos, você volta até a forma mais baixa da cadeia, uma coisinha triste chamada Pister. O jogo é gentil o suficiente de deixar você começar na segunda forma da cadeia, logo você pode levar um único tiro (mas não uma colisão com um inimigo) antes de morrer.

Isso cria várias situações bizarras, onde você precisa continuar evoluindo, mesmo que não queira trocar de forma, pelo menos para evitar cair muito na cadeia evolutiva. O fato de uma forma ser mais evoluída que outra não significa que ela é mais útil. Tipicamente, elas são versões com armas melhores, mas elas pode ser mais lentas e ter hitboxes maiores. Infelizmente, o jogo não te deixa saber quanto tempo te resta na sua forma atual, deixando para você adivinhar ou contar o tempo sozinho.

Existem ao todo 19 formas, mas através do curso normal de se pegar powerups Evol, você vai ver provavelmente cerca de metade delas. O resto é obtido através de vários truques bizarros. Por exemplo, existe todo um ramo evolutivo secundário que é aberto ao se atingir uma certa forma, se deixar involuir intencionalmente por tempo e então pegar outro Evol. Isso revela várias outras formas, sendo que a última é uma criatura-pássaro chamada Deame. Se você se deixar atingir por um tiro, você abre a forma final, a Black Deame, que enche a tela com asas negras e é quase invencível, à menos que você deixe de pegar mais cápsulas Evol. Existem algumas outras formas escondidas, incluindo uma bola de energia chamada Suppurate, que são encontradas por outros meios, geralmente ao ser acertado por certos inimigos ou em um ponto específico do ciclo evolutivo.

Apesar de todas estas formas evolutivas afetarem a sua arma principal, nenhuma delas muda as suas bombas, que são fracas e difíceis de mirar. Ao invés disso, elas são aprimoradas ao se atacar certos inimigos e então se conectar à eles depois que eles são derrotados. Isso é um pouco incomum e difícil de se fazer, mas aumenta ainda mais profundidade do Darwin 4078.

Além do sistema evolutivo, outro ponto que vale à pena se notar é o estilo visual de Darwin. Ele é mesmo muito, muito bizarro, mas não na mesma veia de shooters cômicos como Parodius ou TwinBee, que contam com objetos estranhos como pinguins e instrumentos musicais. É diferente no fato de que quase nada neste jogo se parece com nada ou lugar algum que exista no mundo real. A maioria das fases se passa sobre cenários enfeitados sobre fundos azuis ou marrons, onde as paisagens não se parecem com nada conhecido.

Alguns dos inimigos são baseados em organismos microscópicos, mas outros são simplesmente uma incógnita, incluindo os chefes, que se parecem com barbeadores elétricos com asas de insetos coladas neles. A natureza inexplicável destes designs dão charme ao jogo, mas também são incômodos de se for por muito tempo. Existem também umas poucas músicas, que tem uma melodia similar, sendo que elas também não são confortáveis de se ouvir por muito tempo.

A natureza do sistema evolutivo de powerups acaba por deixar o Darwin 4078 estranho e desequilibrado quando comparado com seus competidores da época, como o Twin Cobra da Toaplan, ou o 1943 da Capcom. Em contrapartida, ele é muito mais ambicioso em vários aspectos, sendo que ainda funciona em seu jeito bizarro e exclusivo.

Darwin 4078 é em primeiro lugar um trabalho de Tomo Furukawa, que fez o design do jogo, desenhou os visuais e compôs as músicas. Ele mais tarde fez parte da banda de rock japonês “visual kei” Guniw Tools, onde ele era o vocalista e produtor dos seus vídeos clipes.

Darwin 4078 recebeu uma versão para MSX2 feita pela Hudson. É uma versão decente, com scroll suave, uma área de jogo maior e cenários detalhados, mas as sprites são monocromáticas. Uma versão para PC Engine, também feita pela Hudson, chegou à ser desenvolvida mas nunca foi lançada.

Vídeos

Arcade:

MSX2:

À Seguir: Super Real Darwin!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s