Phalanx (Mês do X68000)

mes_X68K

HG101_logo_SMALLER

Por

phalanx_a

Phalanx: The Enforce Fighter A-144 (ファランクス) – X68000 (1991), SNES (1992), GBA (2001), WiiWare (2009)

O bom e velho Phalanx, um shooter horizontal bastante competente que não traz nada de novo, mas faz tudo muito bem. Um dos vários jogos para X68000 criados pela Zoom (e sem ligação alguma à série de shooters para Amiga que leva o mesmo nome), que é mais conhecida fora das EUA por causa da versão para SNES do seu clone de Ys chamado Lagoon. Como acontece com vários computadores pessoais, a biblioteca do X68000 está repleta de shooters mal feitos e jogos questionáveis de plataforma. Phalanx não é um jogo que é mencionado em alta conta como o Gradius, mas é um jogo bem feito e vibrante, que se destaca numa plataforma recheada de imitadores.

702856-phalanx-sharp-x68000-screenshot-title-screen

X68000

Se passando no ano futuro de 2279, a história tem foco numa colônia humana no planeta Delia, que mandou um chamado de socorro para a Terra, pedindo ajuda para se proteger de invasores alienígenas. O herói, enviado na nave espacial Phalanx se chama Wink Baufield, mas seu novo foi simplesmente alterado para Rick na versão para GBA.

702859-phalanx-sharp-x68000-screenshot-this-intro-is-exclusive-to

X68000

Apesar de ser um shooter bem padrão, Phalanx se destaca em algumas áreas. É  um dos poucos shooters de sua época onde você tem uma barra de energia, logo você pode ser acertado várias vezes antes de perder uma vida. Você também pode guardar armas e ciclar entre elas (pelo menos na versão para SNES e nas posteriores, ou sacrificar uma delas para usá-la como bomba, cujo efeito muda dependendo da arma usada para isso. Existem quatro tipos de armas principais – Laser, Homing, Energizer, e Ricochet – além de três tipos de mísseis. Ele também oferece uma boa variedade de armas, onde todas são úteis e um detalhe que ainda é incomum até hoje no gênero, ele permite que as você as mantenha e escolha entre várias, numa tacada só.

702866-phalanx-sharp-x68000-screenshot-laser-weapon

X68000

Apesar da maioria das fases seja bem normal, algumas se destacam. Vários shooters da época tinham homenagens à famosa fase da nave gigante do R-Type, da Irem. Aqui há algo similar, exceto que a tela não rola automaticamente, logo você está livre para se mover como quiser e atacar a nave de qualquer ângulo. O objetivo é guiar a sua nave dentro de sus corredores apertados, até alguns segmentos interiores, onde você enfrenta vários inimigos. Complete todas estas seções, e a nave já era. Há também uma fase de asteróides chamada “Advertise Area”, que tem outdoors de vários outros produtos.

702864-phalanx-sharp-x68000-screenshot-main-menu

X68000

Com cenários legais e várias armas divertidas, a única falha de verdade do jogo está em seus inimigos. Muitos dos inimigos do jogo simplesmente não tem inspiração alguma, sendo apenas amontoados indefinidos de metal. Apesar de nem todo jogo ter caças inimigos icônicos como os encontrados nas séries Gradius ou Darius, a insistência da Zoom em criar um conjunto de alvos militares mais “realistas” acaba indo contra a natureza geralmente colorida do jogo. As exceções aparecem mais para o fim do jogo, com algumas criaturas biológicas com visual bacana, mas mesmo assim não tão bacanas quanto as do R-Type.

Phalanx-The-Enforce-Fighter-A-144-USA015

SNES

Apesar de Phalanx ter sido lançado inicialmente para o X68000, sua versão para o SNES é bem mais conhecida. Ela foi distribuída pela Kemco mas foi desenvolvida pela própria Zoom, o que faz dela uma conversão um tanto fiel, mas o jogo sofreu um pouco com a transição. A cena de introdução foi bastante cortada, omitindo os personagens humanos completamente, provavelmente devido à falta de espaço na ROM. Mas eles ainda aparecem, mas só nas cutscenes e no final do jogo. A paleta decores mudou em alguns lugares. Os anúncios na Advertise Area tabém foram alterados para divulgar produtos da Kemco ao invés dos produtos da Zoom. Uma grande melhoria é que a versão para X68000 exige que você destrua uma arma para poder usar outra, enquanto a versão para SNES permite que você cicle entre elas. No SNES você também pode mudar a velocidade da sua nave, enquanto no X68000 você tinha que escolhê-la num menu no começo do jogo. Além disso, no X68000 você tinha mísseis em quantidade limitada, enquanto você pode usá-los o quanto quiser no SNES. De forma geral, a versão para SNES é um pouco mais fácil, também.

Phalanx-The-Enforce-Fighter-A-144-USA030

SNES

Entretanto, a maior diferença entre elas são as trilhas sonoras totalmente diferentes. Phalanx não costuma ser mencionado entre os favoritos nas conversas de fãs de músicas de vídeogames, mas a faixas da versão para SNES e seus samples dão um banho de nostalgia, devido ao amplo uso de samples orquestrados, comuns nos primeiros jogos da plataforma. Nenhuma das trilhas sonoras é particularmente especial, logo dá pra entender porque a Zoom sentiu a necessidade de refazê-la, mas depois da empolgante faixa da primeira fase, o resto das faixas do SNES soam fracas se comparadas com as do original ou com faixas de outros shooters para SNES do começo dos anos 90. A versão para X68000 tem suporte à vários módulos de som, mas o tons está um pouquinho fora em alguns samples, logo o sintetizador interno é a melhor opção. As trilhas sonoras também decepcionam um pouco, já que Kenichi Kamio compôs ótimas faixas para Valis II e Super Chase H.Q., enquanto a trilha sonora para SNES de S. Yamaguchi seria a última em que ele trabalharia. Ainda assim, começou-se um relacionamento com a Nintendo, como vários desenvolvedores da Zoom que trabalharam na versão do Phalanx para SNES também trabalhando no X-Zone para a Nintendo no mesmo ano, e você pode ver vere este relacionamento continuando, com alguns funcionários da Zoom mais tarde trabalhando em títulos da série Mario Party.

Phalanx-The-Enforce-Fighter-A-144-USA094

SNES

Entretanto, a versão para SNES do Phalanx é mais famosa entre os fãs de retro gaming por outro motivo: a arte bastante incomum da capa americana do jogo. Existem várias versões sobre como um velhote tocando banjo foi escolhido para representar um jogo japonês que se passa no futuro, mas uma parte de uma entrevista data em setembro de 2001 interview à revista Electronic Gaming Monthly fornece uma explicação melhor:

P: De onde veio a idéia do velhote na capa do Phalanx para SNES? 

R: Phalanx é apenas mais um shooter de ação lateral do Super NES que todos nós já teríamos esquecido hoje em dia – se não fosse pela inexplicável photo de um velho barbado tocando um banjo na capa do jogo. Porque o velhote? O problema é que todas as arte para vídeogame da época eram parecidas – com monstros, naves espaciais e coisas assim”, explica Matt Guss, diretor de marketing da empresa por trás da campanha de divulgação do Phalanx. “Nós queríamos algo que chocasse, para fazer alguém quer pegar este jogo. Nós chamamos isso de fator ‘Heavy Huh?!’”. O diretor de arte Keith Campbell disse que eles mesmos fizeram as fotos, contratando um modelo para o papel de um caipirão nos anos 80. “Eu já o havia utilizado antes como Papai Noel para as fotos da capa de um disco”, continua Guss. “Eu lembro dele chegando no estúdio, e pensei que o cara ia morrer ali mesmo no set. Acho que ele teve um ataque cardíaco antes – não antes naquele mesmo dia, mas no passado… Nós colocamos um banjo nas mãos dele e acho que colocamos também uma nave espacial atrás da sua cabeça que ele supostamente deveria estar olhando impressionado, algo do tipo Star Wars-chegou-no-sertão”. Você tem que admitir que o conceito da capa criado por Guss funcionou muito bem. Afinal de contas, nós ainda estamos falando de um jogo 10 anos depois de seu lançamento. Se você é jovem demais para se lembrar deste jogo, não se preocupe: a Kemco  vai relança-lo para o Game Boy Advance.

A capa com certeza chamou a atenção na época, mas Phalanx falhou em cativar os jogadores de SNES, e os críticos também não ficaram muito impressionados. A Nintendo Power deu uma nota média de cerca de 70%, e Matt Bielby da revista Super Play também não se impressionou muito, mas não foi capaz de julgar mal jogo. Dizendo que “…este é um dos shooters mais medianos… apesar de ser muito melhor que jogos horríveis como Blazeon e afins, assim como estes continua bastante atrás do do brilhante Super Aleste.” De forma geral, Phalanx se mantém acima da média em comparação com os seus rivais.

0325-Phalanx-The-Enforce-Fighter-A-144-UNobody_34

GBA

Apenas uma década depois, várias empresas fizeram conversões de vários shooters famosos como R-Type III: The Third Lightning, Steel Empire, e Darius for the Game Boy Advance. Mas o primeiro destes à ser lançado foi uma conversão da versão para SNES do Phalanx, cortesia da Kemco. A maior novidade é a volta da introdução do jogo, com personagens redesenhados, mais modernos. Não só a introdução voltou, mas há também cutscenes entre as fases que expandem a história, ao invés de uma única imagem que apresentava a fase, como antes. Já no jogo em si, os gráficos de fundo foram alterados usando cores mais brilhantes (e em alguns lugares foram alterados totalmente) para compensar o fato que o Game Boy Advance não tinha iluminação de tela na época. Infelizmente o resultado quando se joga em alguma versão mais moderna do GBA o resultado não fica tão bom. A trilha sonora é baseada na versão para SNES, mas a qualidade do som é bem baixa. Esta versão também é mais fácil que as outras, especialmente pelo fato de que as bombas que limpam a tela foram adicionadas. Como várias outras versões de shooters para portáteis, a tela pequena atrapalha, mas de forma geral não é ruim, sendo muito melhor que as conversões de R-Type III ou Darius R.

Quase uma década depois disso, a Zoom portou Phalanx para o Wii como um título de download da plataforma WiiWare, bem no vigésimo aniversário da empresa. Ao invés de ser uma simples versão emulada do jogo para SNES, como qualquer outro título do Virtual Console, esta foi baseada na versão para X68000, com algumas mudanças e melhorias. Devido à maior resolução, a maioria das sprites foi redesenhada apresentando mais detalhes, e apesar do jogo ser quase idêntico visualmente, lhe falta o scroll em parallax em algumas áreas. A música também é baseada na versão para X68000, mas com um sintetizador de som um pouco diferente. Como na versão para SNES, você pode escolher suas armas e velocidade quando quiser, mas os mísseis ainda são limitados.

WLXJN4-35

Wii

A maior inclusão é um modo ‘arrange’, que conta com gráficos mais cômicos, incluindo cenas diferentes entre as fases. Algumas destas mudanças são sutis, como a inclusão do mascote da Zooom, o gato Dolucky, no seu hangar no começo do jogo, mas outras são mais óbvias, como transformar os tentáculos de um chefe em longas pernas femininas com salto alto. Muitos dos inimigos foram alterados de formas bem bobas, além de outras mudanças que foram feitas, como a mudança do gráfico de fundo da fase da nave gigante para uma foto real de uma cidade. Não é exatamente um Parodius, mas se você já é familiarizado com o jogo, vale à pena jogar para ver o que mudou.

Phalanx não passou esquecido pelo resto dos anos 90. Ele fez uma volta-surpresa como um minigame curtinho para ajudar a matar o tempo durante os loadings entre as lutas do Zero Divide, um dos primeiros jogos de luta 3D para o PlayStation. Isso pode ser ativado ao segurar Start e Select no segundo controle ao ligar o jogo. Chamado apropriadamente de Tiny Phalanx, ele permite que os jogadores de Zero Divide desfrutem das três primeiras fases do jogo, juntamente com uma ótima e nova trilha sonora.

PEOPSSOFT1608

Tiny Phalanx

O visual e jogabilidade são como no jogo original, e até a primeira fase é similar, mas ela começa durante o dia e eventualmente chega ao por do sol, ao invés de já começar ao escurecer. Os mísseis foram removidos, e parece que os ataques especiais das armas não chegaram à ser implementados – quando você troca de armas, você as perde sem causar nenhum efeito, parecendo que você simplesmente ejeta a arma anterior. Ao invés disso, você conta com uma quantidade limitada de bombas, como na versão para GBA. É na verdade apenas um extra, já que você não tem mais uma barra e só pode levar um tiro. Os visuais não tiram muita vantagem do hardware do PlayStation, exceto por uma versão poligonal da nave, que aparece na última tela do jogo, quando você o termina. As músicas são completamente novas, e são muito boas.

Considerando que é apenas um jogo bônus secreto, ele é surpreendentemente bem feito, completo com uma tela de scores, e até um código de cheat para invencibilidade. bater um certo recorde também destrava um personagem no Zero Divide. Mesmo se você não gostar de jofos de luta em 3D, vale à pena checar este só por causa do Tiny Phalanx.

O terceiro jogo da serie, Zero Divide: Final Conflict para o SEGA Saturn, tem outro minigame escondido do Phalanx, chamado MiniPhalanx, que se torna disponível após se jogar o jogo por mais de três horas. Entretanto ele é extremamente simples em comparação com a versão para PlayStation. Não há gráficos de fundo, música ou sequer efeitos sonoros, apenas sprites simples e inimigos que vem em ondas constantes até você parar.

tinyphalanx

MiniPhalanx

A série Zero Divide também foi muito importante para a Zoom. Foi o seu primeiro jogo em 3D e também o seu primeiro jogo para PlayStation, que levou a Zoom à também criar um jogo de luta do anime Rurouni Kenshin, assim como o jogo cult para PlayStation 2 Mr. Mosquito (e a sua continuação).

Mas os fãs mais dedicados do X68000 podem jogar Phalanx bem mais facilmente: Em 2001, a Zoom decidiu distribuí-lo gratuitamente em seu website, juntamente com o resto de sua biblioteca de títulos para o X68000! Esta versão do site já não existe faz tempo, mas estes jogos podem ser facilmente achados na internet com algumas buscas, permitindo que tanto novatos quanto os fãs mais nostálgicos experimentem Phalanx, Lagoon e Genocide em sua forma original. Mas seja no X68000, SNES, ou WiiWare, Phalanx ainda é um grande shooter.

Comparativo de Fotos

Introdução:

Primeira fase:

Intro da primeira fase:

Vídeos

X68000:

Super Nintendo:

Wii:

Wii (Arrange):

Gameboy Advance:

Tiny Phalanx:

MiniPhalanx:

Trilha sonora (X68000):

Trilha sonora (SNES):

Trilha sonora (GBA):

À seguir: Knight Arms!

Um comentário sobre “Phalanx (Mês do X68000)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s