Especial Dragon Knight, Parte 2: Dragon Knight II

HG101_logo_SMALLER

Por

dragonknight2_a

Dragon Knight II (ドラゴンナイトII) – PC-88, PC-98, MSX2, X68000, PC Engine (20 de dezembro de 1990)

A Elf não tinha uma continuação em mente quando fez o primeiro Dragon Knight, mas sua enorme popularidade e a forte demanda dos fãs os fez começar à trabalhar imediatamente, e ele foi lançado apenas um ano depois do primeiro jogo.

120360-dragon-knight-ii-msx-screenshot-oooooh-baby-shall-we-ahem

MSX2

Takeru, tendo perdido uma aposta conta mercado itinerante Baan, é forçado à ir até a cidade de Phoenix para entregar uma escritura à tempo de uma cerimônia de casamento. Ele chega em segurança e entrega a escritura ao ancião da cidade, e decide passar a noite por lá. Na manhã seguinte, ele descobre que todas as mulheres da cidade desapareceram. Após tentar entender o que aconteceu, o ancião explica que a cidade costumava estar sob o domínio de duas facções adversárias 300 anos atrás, os clãs das Witches e dos Dragon Knights. Um dia, os Dragon Knights fizeram um ataque surpresa contra as Witches, que resultou numa batalha que diz-se ter durado três dias. Ao amanhecer do quarto dia, ambos os clãs haviam desaparecido, e apenas os humanos restaram naquelas terras. Entretanto, Mesaanya, uma descendente das Witches apareceu, e ela não permite que homens e mulheres se apaixonem enquanto ela está por lá. As Witches eram um clã só de mulheres e os Dragon Knights eram um clã só de homens, e ela não podia perdoar os homens pelo que eles fizeram às suas ancestrais. Já que a filha do ancião quebrou este tabu, Mesaanya roubou a escritura que Takeru entregou raptou todas as mulheres da cidade e as transformou em monstros. Pede-se ajuda à Takeru para recuperar a escritura, que permitiria que transformasse as mulheres novamente em humanos. Ele não está muito disposto à ajudar, mas acaba aceitando e parte em direção à torre da bruxa.

Personagens

baan

Baan

Um mercador itinerante, que faz Takeru ir para Phoenix em seu lugar. Ele usa dívida em dinheiro de Takeru como pretexto, mas ele tem outros motivos para evitar ir até aquela cidade. Mais tarde ele se junta ao grupo de Takeru’s para ajudá-lo à salvar as mulheres da cidade. Dublado por Banjo Ginga na versão para PC Engine.

sophia

Sophia

A terceira integrante do grupo, é uma maga que convenientemente aparece na cidade quando Takeru e Baan precisam encontrar alguém versado em magia para poder continuar investigando a torre. Dublada por Shimamoto na versão para PC Engine.

kate

Kate

A filha do ancião da cidade. Ela se apaixona por Pierrot, um jovem que visita a cidade, e ambos decidem se casar. Dublada por Aya Hisakawa na versão para PC Engine.

elder

Ancião

Ele pede a ajuda de Takeru quando as mulheres são transformadas em monstros. Ele tem procurado por maneiras de derrotar Mesaanya, mas sem sucesso. Dublado por Koji Yada na versão para  PC Engine.

mesaanya

Mesaanya

Uma  descendente das Witches. Ela primeiro chega em Phoenix fingindo ser uma boa pessoa para que as pessoas da cidade se abram com ela, mas eventualmente ela acaba revelando suas verdadeiras intenções e faz a maioria dos homens fugir de Phoenix. Dublada por Yumi Nakatani na versão para PC Engine.

120362-dragon-knight-ii-msx-screenshot-the-stubborn-girl-won-t-let

MSX2

A maioria das mecânicas do jogo original continuam as mesmas em Dragon Knight II, sendo a maior mudança a inserção de  mais membros em seu grupo, chegando à um máximo de três, mas os combates ainda são jogados da mesma forma. O jogador só pode dar um comando por turno, com Takeru encarregado dos ataques físicos e itens, Baan atacando automaticamente a cada turno, e Sophia usando as maias disponíveis. Mas usar magias em combate é inútil à menos que você precise recuperar energia, logo deixar a tecla pressionada enquanto Takeru e Baan matam o inimigo é a melhor estratégia na maioria dos combates do jogo.

120369-dragon-knight-ii-msx-screenshot-in-front-of-a-door

MSX2

O objetivo principal desta vez é transformar todas as garotas-monstro em humanos novamente, logo cada inimigo que você encontra na torre é uma destas garotas. Isso significa que você só enfrenta um inimigo de cada vez, ao invés dos múltiplos inimigos do primeiro jogo. O jogador precisa achar as página da escritura espalhadas pela torre, e cada página permite transformar um tipo específico de monstro de volta em humano – se não eles simplesmente fogem (mas ainda te dão experiência e dinheiro) quando você as derrota em combate. Também não existem chefes, exceto pelo último, o que torna este jogo mais fácil que o anterior.

Apesar disso tudo, este parece ser um título bem melhor que o primeiro, principalmente graças ao script mais interessante e os personagens melhor desenvolvidos. As interações entre Takeru, Baan e Sophia tornam a exploração dos andares mais divertida, e cada NPC tem muito mais personagem e linhas de diálogo que os do jogo anterior. Muito mais atenção foi dada ao enredo do jogo, que apesar de ser bem simples, consegue até surpreender em alguns momentos. Fica claro desde o início que Dragon Knight não foi planejado para ser uma série, e o mundo e a história dos dragon knights não foi muito bem desenvolvida no início. Esta continuação tenta consertar um pouco isso, e até deixa umas  pontas soltas de propósito para um terceiro jogo.

A Elf também achou importante expandir os elementos eróticos desta vez. Desta vez, cada garota que Takeru salva acaba lhe fazendo uma visita à noite quando o jogador descansa na pousada, para “expressar a sua gratidão”. Tudo isso acontece de maneira bem boba, e estes momentos nunca são levados muito à sério.

120367-dragon-knight-ii-msx-screenshot-visiting-a-magic-user

MSX2

Visually, ele está no mesmo nível do jogo anterior, mas agora os combates mostram grandes imagens em CG das inimigas ao invés de sprites pequenas. Incrivelmente, cada garota-monstro tem seu próprio tema musical – todas as trinta. A maioria destas faixas não é muito boa, mas o esforço por trás disso é impressionante.

Dois anos depois, a NEC Avenue lançou uma versão para o PC Engine. Este foi um momento importante na indústria dos eroges, pois pela primeira vez alguém havia convertido um jogo erótico para um console doméstico. O público estava cético se haveria algo que valeria a pena em uma versão censurada, já que muitos ainda pensavam que este tipo de jogo só era jogado por causa do sexo e nada mais. Mas Dragon Knight era uma franquia popular, e a NEC decidiu arriscar, até indo atrás de um elenco composto por dubladores famosos nos anos 90. E o jogo foi um sucesso – jogos adultos estavam finalmente sendo vistos como algo que pudesse ser genuinamente divertido, fora o apelo sexual. A versção em si é quase idêntica à versão para computador, apesar de obviamente o conteúdo erótico ter sido removido. As garotas ainda visitam Takeru à noite depois de salvas, mas as cenas terminam abruptamente, sem mencionar o que acontece depois.

Comparativo de Fotos

Vídeos

MSX2:

NÃO ENCONTRADO! COLABORE!

PC-98:

PC Engine:

Trilha sonora do X68000:

À seguir: Dragon Knight III!

Um comentário sobre “Especial Dragon Knight, Parte 2: Dragon Knight II

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s