Especial Ys, Parte 9: Ys III (Consoles e Celulares)

Por Kurt Kalata em 15 de agosto de 2017

Ys III: Wanderers from Ys (イースIII: ワンダラーズ フロム イース) – TurboGrafx-16 CD, Genesis, SNES, PlayStation 2, Celulares

Ys III foi lançado para os três consoles 16-bit e para nossa surpresa, também no ocidente. A versão para o SEGA Genesis chegou por cortesia da Renovation/Telenet, a versão para o SNES foi trazida pela Sammy e a Hudson foi quem trouxe a versão do TG-16 CD. Elas são bem melhores que as versões para computador e apesar de não contarem as oções de dificuldade, elas são geralmente melhor equilibradas.

TurboGrafx-16

A versão para do TG-16, assim como Ys Book I & II, foi desenvolvida pela Alfa Systems e distribuída pela Hudson. Ela é considerada por muitos a versão definitiva do jogo, principalmente pela sua fantástica trilha sonora, novamente arranjada por Ryo Yonemitsu. Mesmo que você não tenha intenção alguma de jogar este jogo, vale à pena conseguir este CD só pela música. Há também algumas cutscenes de introdução – uma que mostra um lendário herói musculoso com cabelos compridos e outra num estilo anime mais tradicional, com Adol e Dogi se aventurando juntos. O jogo também conta com uma dublagem comicamente ruim. Infelizmente, o TurboGrafx parece não ser capaz de lidar com vários planos de fundo simultâneos, o que torna o scroll do jogo um tanto estranho. É melhor que as versões para computador, mas ainda perde para as demais versões em 16-bit. Esta é também a mais fácil das versões em 16-bit, com inimigos mais fracos, maior facilidade em se acumular experiência e lutas menos insanas contra os chefes. Estranhamente, os nomes foram alterados na tradução para o inglês – Redmont agora se chama Sarina, Ilburn se chama Alcaino e várias outras pequenas diferenças aqui e ali. A dublagem em inglês é atroz, como é de se esperar. O mais estranho é que os tradutores entenderam errado a sequência de abertura, identificando o antigo herói que derrotou Galbalan/Demonicus como Adol, quando na verdade ele é um personagem completamente diferente, chamado Genos. A arte da capa comete o mesmo erro, identificando erroneamente o protagonista.

Genesis

Uma das versões mais balanceadas é a do SEGA Genesis/Mega Drive. As cores receberam algum downgrade, mas o jogo roda de forma suave, o que já a coloca acima da versão para o TG-16. A música obviamente não é tão boa, mas para um jogo de Mega Drive a transição foi muito boa, com o sintetizador FM sendo capaz de soar relativamente fiel se comparado ao som das versões originais para computador, especialmente a versão para X68000. O áudio foi programado e arranjado por Noriyuki Iwadare, que mais tarde iria compor as trilhas das séries Grandia e Lunar. A introdução também é diferente, mostrando como Adol e Dogi decidiram começar a sua aventura, sendo baseada nas ilustrações do manual do jogo original para computador. Ela também conta com os nomes alterados bizarros da versão para TG-16.

Super Nintendo

A versão para SNES tem uma introdução parecida com a do Mega Drive, mas bem mais resumida, com uma arte completamente diferente e um uso totalmente desnecessário de efeitos em Mode 7. Ela também conta com os gráficos mais limpos entre as três versões, apesar deles serem um pouco mais escuros. Infelizmente a música não sofreu uma conversão tão boa, com alguns samples bem incômodos. Considerando o fantástico cchip de som do SNES, isso é realmente uma pena. Os inimigos são incrivelmente difíceis e a detecção de hits torna as lutas contra os chefes ainda mais frustrantes. Mas esta é a única versão em inglês que manteve os nomes originais japoneses intactos.

PlayStation 2

A versão para o PlayStation 2, lançada no Japão em 2005 (quinze anos após o lançamento inicial de Ys III) pela Taito, refaz todo o jogo, para torná-lo comparável aos remakes Eternal dos dois primeiros jogos. Os gráficos receberam uma enorme upgrade, com sprites em alta resolução extremamente bem animadas, gráficos de fundo feitos à mão e retratos de todos os personagens principais, incluindo os vendedores. A maioria dos diálogos são totalmente dublados, incluindo Adol, pela primeira vez na série. As mecânicas também receberam melhorias – os inimigos ficam tontos aos serem acertados e Adol conta com um tempo de invencibilidade quando é ferido, logo foram-se aquelas mortes instantâneas de outrora. Infelizmente você não pode mais segurar o botão de ataque e marchar para cima dos inimigos, mas em compensação Adol agora conta com um combo bem legal com quatro hits. Há também um golpe separado de espadada para cima.

PlayStation 2

Mesmo com todos estes pontos positivos, há também algumas mudanças bastante estranhas. Apesar do jogo como um todos parecer menos quebrado que todas as demais versões, acertar os inimigos o ar ainda é difícil e a dificuldade ainda é bem desbalanceada. No modo Normal, quase todos os chefes são fáceis demais. Há ainda algumas outras escolhas estranhas – as barras de energia dos inimigos foram removidas, com exceção das dos chefes. A maioria das fases não têm scroll: ao invés disso elas fazem fade out/fade in enquanto você se move de tela à tela. Com isso, muitos dos efeitos legais de parallax dos gráficos de fundo se perderam. Se perderam também vários detalhes dos cenários. Sabe aquelas lindas cachoeiras das Tigre Mines? Se foram. O vulcão das Ilburn Ruins? Também já era. Mas o maior problema é que além de arrumar os controles, a Taito não fez nada para melhorar a atual estrutura do jogo. As fases ainda são lineares e sem graça e jogo ainda pode ser terminado em cerca de três horas. Você poderia imaginar que já que os designers mudaram tanta coisa, elas acabariam mexendo em pontos mais críticos do jogo, mas isso não aconteceu. Como resultado, só quem realmente adora Ys III é quem vai curtir esta versão. Uns poucos meses depois do lançamento desta versão, a Falcom lançou seu próprio remake do Ys III, chamado The Oath in Felghana. Já que ele usa a engine do VI, a jogabilidade é completamente diferente – como você já deve ter conferido neste artigo.

PlayStation 2

Assim como aconteceu com o primeiro jogo da série, Wanderers from Ys foi agraciado com uma versão para celulares feita pela Bothtec, em 2002. A mesma empresa mais tarde desenvolveu uma outra versão com gráficos melhores, dois anos depois.. Há ainda uma outra versão para celular, mas esta foi exclusiva para o mercado coreano, assim como aconteceu com Ys II Special uma década antes. Programada pela PNJ Mobile e lançada pela Kama Digital Entertainment em 2004, ela se chama Ys III Eternal (이스III 이터널) e conta com gráficos melhorados e fases rearranjadas.

Comparativo de Fotos

Abertura do TurboGrafx-16:

Abertura do SEGA Genesis:

Abertura do Super Nintendo:

Vídeos

TurboGrafx-16:

SEGA Genesis:

Super Nintendo:

PlayStation 2:

Playlist com a trilha sonora do TurboGrafx-16:

Trilha sonora do SEGA Genesis:

Playlist com a trilha sonora do Super Nintendo:

Playlist com a trilha sonora do PlayStation 2:

Em breve: Ys IV!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s