Especial Rambo, Parte 2: Apenas “Rambo”

Por Kurt Kalata em 4 de março de 2008

Rambo – MSX (1985)

Capa

Rambo para o MSX – criado pela Pack-In Video – tem um visual e gameplay suspeitosamente parecidos com o do famoso jogo de RPG japonês para computador/NES Hydlide. A capa do jogo o descreve como “Real Time Roleplaying Game”. Você começa no meio do campo de batalha armado apenas de uma faca, que você usa correndo em direção ao inimigo enquanto segura o botão de ataque, nas esperança de que ele morra antes de você. Se você explorar à sua volta, você vai encontrar outras armas como flechas e metralhadoras, que podem ser usadas por um número limitado de vezes. Esta é a única forma de matar inimigos armados com armas de fogo, mas elas são inúteis em combate corpo a corpo. Dado à forma espasmódica e errática com que os personagens se movem – nada nesse jogo realmente tem animação – parece que a maior parte do jogo se dá por pura sorte. Apesar de você regenerar sua energia ao ficar parado por alguns segundos, você vai ficar constantemente em falta de comida se demorar muito e você só aguenta levar uns poucos ataques, mesmo assim. O cenário do jogo não é muito grande, mas você precisa pegar uma canoa, encontrar chaves, evitar cobras e ficar indo e vindo para encontrar os itens necessários para terminar o jogo.

Super Rambo Special – MSX2 (1986)

Capa

Super Rambo Special (super especial mesmo) é outro jogo bizarro de ação e RPG, mas este aqui é mais parecido com Metal Gear. Você se “esgueira” pela floresta, procurando por chaves para abrir cabanas, que contém uma variedade de armas. Eu usei “esgueirar” entre aspas por que a inteligência artificial dos inimigos não faz sentido algum. Às vezes você passa bem na frente deles e eles não estão nem aí. Outras vezes eles te detectam do nada e começam à atirar em você ou encher a tela com granadas. Em um certo momento Co Bao se junta à você e também começar à atirar do nada, mas ela costuma morrer bem rápido. Os gráficos tem uma resolução maior que a do jogo anterior, mas ainda assim são bem fracos, além do controle também ser ruim, sendo difícil de se matar qualquer coisa.

Rambo – NES (1987)

A versão de Rambo para o Nitendinho – lançada pelos reis da baixa qualidade, a LJN/Acclaim – foi originalmente criada pela Pack-In Video, a mesma responsável pelos jogos do Rambo no MSX. E novamente eles erraram feio ao diminuir a ação e focar em elementos de RPG. Entretanto, eles é um jogo de scrolling lateral que lembra até demais o Zelda II: The Adventure of Link. O jogo meio que segue o roteiro do segundo filme, o que chega à impressionar um pouco. Quando você começa, o Coronel Trautman te dá a opção de aceitar a missão ou permanecer na prisão – se você escolher ficar na prisão, ele vai ficar dizendo sem parar que o jogo não vai começar até você aceitar a missão. Você pode andar pela base e falar com todos os personagens principais e então é enviado para a selva apenas com uma faca. No começo seus inimigos são abelhas, cobras, aranhas, morcegos, caveiras voadoras (!!), piranhas e flamingos demoníacos. Ocasionalmente eles deixam armas, como facas de arremesso, flechas e granadas. Estes tem quantidades limitadas, mas são obrigatórios se você quiser sobreviver. Sua faca padrão é lenta, fraca, sendo bem difícil se escapar de uma luta sem levar ao menos um golpe. Você tem remédios para recuperar sua energia, mas isso também é limitado. Mais para frente no jogo você finalmente consegue uma metralhadora, depois de bastante tempo. Matar inimigos te dá experiência e de vez em quando você pode encontrar corações que aumentam a sua energia.

Rambo (NES)

Apesar do enredo do jogo ser linear, você precisa ficar vagando pelas selvas do Vietnã para encontrar o seu próximo objetivo. Você recebe pistas vagas das pessoas que encontra, que tem retratos horrivelmente hilários, especialmente o Rambo. De certa forma, estes elementos de exploração são parecidos com os do Castlevania II ou The Goonies II. Mas os layouts nem sempre fazem sentido – às vezes você fica andando em uma direção e acaba dando um loop no cenário enquanto em outras você chega num beco sem saída. Estes becos nem sequer tem paredes, são apenas um espaço normal que não dá para passar. Em raras ocasiões você entra numa tela, volta duas telas e acaba chegando numa área completamente diferente. Há também uns blocos com “N” e “S” escrito neles, que te transportam para partes diferentes do mapa. Às vezes esse caminho é só de ida, o que é enlouquecedor. Não existe um mapa nop jogo e os cenários repetitivos não facilitam em nada as coisas.

Rambo (NES)

Eventualmente, você acaba encontrando Co Bao, desce o rio de barco e faz uma pequena subquest onde você salva um garoto de uma aranha gigante. Quando você chega no acampamento, você pode escolher entre completar sua missão como planejado, simplesmente tirando uma foto com eles… mas então você precisa voltar e salvá-los do mesmo jeito para o jogo poder prosseguir. De qualquer forma, você acaba sendo feito prisioneiro. Nesse momento você passa à controlar Co, onde você deve se “esgueirar” pela base, simplesmente andando por ela. Uma vez que você assuma o controle de Rambo novamente, você acaba tendo que enfrentar um helicóptero, que requer que você tenha não menos que 50 granadas e um monte de itens para recuperar energia, pois os mísseis chovem sobre você. Você eventualmente chega à voar de helicóptero – mas não antes de fazer uma quest em busca da chave – mas você não explode nada com ele, infelizmente. Você só salva outro refém e volta para a base para o final do jogo. Neste segmento você ataca Murdock – o cara que te traiu – disparando um kanji que significa “raiva” que então o transforma num sapo. Hmmm.

A versão japonesa tem uma hilária frase em “Engrish” na tela de abertura que diz “Rend the feeling the heat with painful feelings.” A paleta de cores é bem bagunçad, então os retratos dos personagens ficam zoados, o que faz com que o Rambo tenha cabelo verde, por exemplo. Além disso, “EXP” se chama “Anger” sabe-se lá por que. Na caixa do jogo está escrito em japonês: “Um jogo infernal onde a raiva do homem explode.”

Vídeos

Rambo (MSX)
Super Rambo Special (MSX2)
Rambo (NES)
Rambo (Famicom)

À seguir: Rambo III!

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s